Sarah Duarte . Identidade Visual
O projeto de identidade visual da Sarah gira em torno do seu ofício, que são sessões de terapia holística alinhadas à fotografia. Seu modelo de terapia consiste em métodos voltados para os fatores físicos, mentais e espirituais de seus pacientes, ao mesmo tempo em que o registro do processo terapêutico é registrado em fotografias. 
O conceito vem a partir deste momento, a fotografia. Na foto se registra o reencontro de si consigo mesmo e se visualiza a resolução de conflitos internos e externos, e para conceituar este projeto, me embasei na ideia tirada do livro "A câmara clara" de Roland Barthes (1980), a qual relata o sentimento do autor com relação a uma fotografia de sua falecida mãe. O autor fala sobre o que ele chama de “traço unitário”, que é algo abstrato que define uma pessoa ou a imagem que temos dela. Esse traço pode ser visualizado de muitas formas e o autor vê a da mãe dele em uma fotografia. A partir disso, nesse luto, ele mergulha no universo da fotografia. E a partir deste contexto, eu uso o conceito de traço unitário no projeto. 
O traço unitário é representado graficamente pelo monograma das letras S e D, que é desenhado a partir de um único traço. O mesmo traço é usado como elemento de apoio quando aplicado em escala aumentada. As cores quentes e pastéis são acompanhadas de uma tipografia com características clássicas e sem serifa, que apresentam o nome da terapeuta ao redor do monograma.

Other projects